30
Mai 08

O sentimento profundo de uma dor, que não passa por motivos impensáveis, atormentam a mente, martelando no seu mais profundo interior, mas que vida é esta? Não basta a tristeza invadindo a minha mente, senão um tormento na alma, a liberdade de escolha a decisão de um ardor, mágoa, que paixão esta que me tira a vontade de viver, apenas vivendo quando estou ao teu lado e mesmo assim, sempre a espreita de me dar mais uma inquietude, mais um estado de solidão…..

Caminhando sobre um vale de sombras em busca da luz, da razão, da solução de uma mente sã, invadindo tudo o que existe de belo num ser, sem piedade nem remorsos

Quero ser como as outras pessoas, livres de pensar sem que porventura nunca pensar no mal, na mágoa, nunca fui egoísta, nunca fui falso, apenas uma pessoa fechada a sete chaves, que não deixa transparecer a felicidade ou infelicidade com medo de si mesmo ….

Que sina a minha, que praga me rogaram que não me deixam ser feliz, ou pelo menos tentá-lo ser, sem que nesta fase, nunca tenha de magoar ninguém em virtude de ciúmes doentios, onde do nada imagino tudo, mas porquê? Porquê esta desconfiança nas pessoas que amamos, que sentido faz isto ….. Amar sem ciúmes não é amar, bem sei, mas a esta ponto chega a ser doentio, quero me libertar disto, sem saber como, quando, onde…..

 

Divagando o que me vai na alma será que passa? Será esta a solução?

 

Amar-te é como uma suave brisa que passa pelo meu rosto, que me deixa sentado nas nuvens admirando-te do cimo do mundo, onde nada me afecta, onde nada me distrai, só tu me fazes viver assim, no teu sorriso enche o meu coração de ternura, nos teus beijos levam-me ao profundo sonhos dos quais nunca mais quero acordar, desejo-te como uma chama ardente, adoro tocar o teu corpo sentir a tua pele, acariciar-te vezes sem conta, és a minha musa minha inspiração e mesmo assim continuo-te a magoar …..

 

Deves pensar que fiquei louco de um momento para o outro, mas não tudo na vida não faz sentido sem o teu amor, carinho, fraqueza minha pelo qual não me arrependo um segundo desde o dia em que te vi e já lá vão sete anos a amar-te sempre cada vez mais, mas dirás tu novamente, agora é que se passou de vez, não porque é mais difícil dizer-te ao vivo, que por meio de palavras, as palavras fluem naturalmente, sem provocar dor ou tristeza, ao contrario de falar, bruto como sempre fui acabava sempre mal, por outro lado sei bem se que falasse depois chorávamos aliviava a dor mais rápida, mas por este caminha vou tentar percorrer e corrigir as minhas falhas enquanto pessoa, que certamente não são poucas…..

 

 

 

publicado por cronicasdeumlouco às 12:30
sinto-me: louco de amor

Afinal sempre foste corno.....
Anónimo a 6 de Abril de 2010 às 19:07

Maio 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
31


Crónicas Passadas
2008

Tempo
relojes web gratis
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO